Projeto para residência com aproximadamente 800 m² a ser construída na cidade de São Carlos, interior de São Paulo.

O trabalho pretende a atender a demanda por um residência com quadro programático robusto objetivando uma arquitetura visualmente leve. Algumas operações em projeto foram cruciais para atingirmos tal meta, as principais são: valorização da esquina (e paisagismo) em detrimento da fachada construída, organização do programa residencial em três pisos (incluindo piso inferior para depósito e área técnica) e o pleno uso da estrutura metálica.

A implantação, em termos gerais, acaba por valorizar a abertura para a esquina com o objetivo de obtermos uma casa mais privativa em relação aos vizinhos imediatos e também para a obtenção de uma fachada que valorize melhor a noção de conjunto entre arquitetura e paisagismo. A adoção desta medida acaba por trazer a insolação norte para dentro pavilhão principal, que encontra-se devidamente protegido do superaquecimento por meio de enormes beirais de cobertura e brises em parte de sua fachada. A área privativa, concentrada majoritariamente no bloco à direita na composição, acaba por avançar em relação ao restante do conjunto, ocasionando assim uma melhor proteção da área de convívio principal em relação ao sol da tarde (fachada oeste).

A organização interna acaba por refletir noções parecidas com a da implantação geral à medida que as partes “pesadas” do programa residencial (serviço, depósito, despensa, área técnica) estão definidas em áreas menos evidentes da construção, como o grande volume de alvenaria recuado e o pavimento inferior. As áreas de convívio e lazer encontram-se abrigadas sob uma esbelta estrutura metálica que, juntamente com materiais in natura como a rocha bruta, madeira e concreto, acaba por criar um grande plano contínuo entre os espaços internos, lazer e o entorno.

A adoção de sistemas construtivos metálicos, tais como a estrutura de aço em perfis laminados, lajes steel deck e fachada em chapas de aço corten, foram cruciais na obtenção dos grandes vãos livres necessários para a integração dos ambientes e resultam em uma arquitetura bem mais leve e fluída, que reduz o peso visual do objeto arquitetônico em meio aos jardins circundantes.